domingo, 10 de maio de 2009

(Peru) Conclusões e Referências

notasDesde o começo do planejamento eu estava bastante preocupado com o cronograma. Parecia-me muito corrido e difícil fazer todas as coisas que gostaríamos (que incluíam várias trilhas) e ainda havia o problema de não estourar o orçamento! Talvez por isso, tenhamos negligenciado a segurança, que culminou no problema que tivemos na Bolívia, e comprometeu a ida ao Salar de Uyuni. Tirando esse problema, conseguimos cumprir perfeitamente o planejado.

As decisões certas que tomamos no planejamento foram:
  • Ter deixado Machu Picchu como atração final da viagem! A cidadela é estonteante e avistá-la após percorrer toda a Trilha Inca (caminho feito pelos incas) multiplica em muito o fascínio. Se tivéssemos começado por ela, Cânion Colca e tudo mais o que vimos depois teria sido ofuscado.
  • Ter levado roupas na medida certa. O checklist que fizemos (veja abaixo) foi exato para o tempo que permanecemos e para o clima que pegamos. Lavamos roupas poucas vezes e o peso não foi excessivo.
  • Termos levamos mochila de ataque, para colocar agasalho, água, protetor solar, etc. Como estávamos em 3 pessoas, havia espaço suficiente em apenas uma mochila, podendo revezar quem a carregaria.
E as erradas:
  • Ter levado pouco dinheiro vivo. Na Bolívia, sacar dinheiro não é nada trivial pois é difícil encontrar caixas eletrônicos. No Peru, embora os caixas eletrônicos sejam mais freqüentes, é preciso pagar uma taxa por saque, que poderia ser de no máximo de US$200, o que nos obrigou a pagar varias vezes essa taxa.
  • Não ter ativado roaming internacional no celular, por puro esquecimento. Aliando isso ao fato de que na Bolívia quase não existem telefones públicos (apenas cabines de ligação, que não são 24hrs), comunicar-se com o Brasil não foi fácil.

As dicas abaixo são de grande valor:
  • Tenha muito cuidado nos terminais rodoviários! A desorganização, a movimento intenso, o barulho e o fato de poucos aceitarem cartões de credito (aceita-se somente dinheiro vivo) favorece os ladrões. Para completar, a polícia não é nada eficiente ou preocupada em evitar furtos!
  • Variações de temperatura bruscas, aliada com o sol forte são comuns! Não esqueça do protetor solar, óculos escuros e agasalho. Por mais que pareça desnecessário ou excessivo, o tempo costuma mudar bruscamente em pouco tempo na região andina.
  • Tanto no Peru quanto na Bolívia, cartões de créditos não são muito bem aceitos. Havendo sempre preferência (e preços bem destoantes) para pagamentos com dinheiro vivo!
  • Para viajar pela maior parte da américa latina não é preciso visto, nem passaporte. Basta ter em mãos seu RG (com foto atual).

Arquivos e Referências:
Sites úteis: