quinta-feira, 31 de maio de 2012

(Maceió) Dia 01: Praia e Falésias do Gunga

Meu voo de Guarulhos passou por Brasília e pousou em Maceió às 2h da madrugada. A Mariana e o Tony estavam me esperando no aeroporto e fomos direto para a casa dele, na Praia do Francês, descansar até o dia amanhecer.

Acordamos às 10h e fomos na praia, que fica há 2 quadras da casa, para ter o primeiro contato com o litoral alagoano. Ficamos só um pouco e seguimos de carro para a Praia do Gunga, que fica um pouco mais ao sul. Antes de chegar à praia, a visita ao Mirante do Gunga (R$2/pessoa) é obrigatória: lá a vista do alto do farol segue até o horizonte, em um mar de coqueiros.

Já eram 12h, quando fomos de fato para a praia, Sentamos na barraca Tempero Nordestino, que nos tinha sido indicada. Mas a música era tão alta e ruim que não ficamos nem 30min por ali e decidimos sair para uma caminhada.

Resolvemos ir até as falésias pela orla da praia. A ideia parece simples mas andar 6km (só de ida) pela areia fofa é mais difícil do que parece. Depois de 1h caminhando, lembramos que deixamos todas as coisas (câmera, carteira e água) na mesa da barraca e o Tony prontamente se dispôs a voltar para buscá-las.

Ele voltou quase correndo e eu e a Mari seguimos em frente. Eram quase 14h quando o Tony nos alcançou – de buggy! Nós estávamos bastante cansados e a cena dele chegando, com duas águas de côco, pareceu até de cinema, só faltou a trilha sonora. Continuamos por mais 15min, agora motorizados, e chegamos ao nosso destino.

Falesias da Praia do GungaAs falésias ficam no lado direito da praia, extremo oposto ao coqueiral sem fim que vimos do mirante, próximo à Lagoa do Roteiro. Como toda falésia, as montanhas íngremes de areia colorida - do amarelo ao marrom - desenham uma paisagem que mais parece saída dos desertos do Oriente Médio. Um pequeno córrego de água doce separa as falésias em si da praia, e o banho no final do dia garante um visual impressionante.

Ficamos por ali até às 16h quando resolvemos voltar para a barraca. Não demoramos muito mais e então seguimos o rumo da Praia do Francês. Aproveitando que era caminho, passamos na Massagueira, um bairro com a fama de ser um dos melhores locais para provar comida típica de Alagoas.

Escolhemos o famoso Bar do Pato e sentamos em uma das mesas de frente para a Lagoa Manguaba, ainda com a expectativa baixa pois o local não é dos mais atraentes. Começamos com caldinho de maçunim, pato ao molho pardo (o prato principal não era difícil de se imaginar) e camarão ao coco. Todos deliciosos! Os pratos eram grandes mas, como sempre, camarão mesmo veio pouco. A conta não foi barata, mas valeu a pena.

Às 19h voltamos para casa, tomamos banho e fomos dominados pela preguiça. Resolvemos ir dormir cedo para aproveitar mais o dia seguinte: antes mesmo de 23h já estávamos capotados.

Quem estava:
Picasaweb + fotos