domingo, 1 de novembro de 2009

(PETAR) Dia 02: Núcleo Ouro Grosso

Tentamos acordar cedo como ontem, mas não conseguimos. Até terminar o café da manhã e ir na Pousada Ouro Grosso já era 9h30. E quando chegamos lá ainda tivemos que esperar os que ainda não estavam prontos.

Entrando na Caverna Alambarí de BaixoSó às 10h30 chegamos à sede do Núcleo Ouro Grosso, de onde seguimos caminhando até a Caverna Alambari de Baixo. A caminhada, de 1h, é em terreno plano até a entrada da caverna (foto), sem muita sombra e pode ser feito de carro. Entramos na caverna depois de 15min de descanso e algumas explicações. Logo estávamos andando com água na altura da cintura (ou mais) e nos esgueirando por túneis estreitos. Tudo para chegar a uma bela cachoeira subterrânea. Saímos da caverna às 13h20, sem grandes contratempos ou esforços.

Depois de mais 45min de caminhada para retornar a cede do núcleo, descansamos 15min, comemos e às 14h15, seguimos para a Caverna Ouro Grosso, que fica bem perto da sede do núcleo. Entramos pela minúscula abertura da caverna às 14h30 e logo pudemos vislumbrar o tamanho do desafio: agua, escurdão, fendas e paredões. A extensão aberta à visitação é consideravelmente curta e, sem ter para onde correr, logo nos vimos na água novamente. Ao contrario da Caverna Água Suja, que conhecemos no dia anterior, caminhamos poucos e escalamos muito. As várias cachoeiras subterrâneas, as escaladas e a adrenalina do começo ao fim tornam essa caverna imperdível!

Saímos da caverna às 17h15 e fomos aproveitar o final do dia (viva o horário de verão) na Cachoeira do Sem Fim (R$2,50 por pessoa). Ficamos lá 1h: nadando, pulando das pedras mais altas e relaxando na água gelada, quando então voltamos para a pousada sem fazer o rapel.

Entre 18h30 e 20h30: jantamos, tomamos banho e descansamos e fomos novamente para a Pousada Ouro Grosso. Dessa vez ficamos até 1h30 socializando com os hospedes de lá (que eram bem mais animados) e fazendo churrasco (que demorou bastante até ficar pronto). Alguns até arriscaram ir conhecer a vida noturna local mas nós fomos dormir para garantir um mínimo de disposição no último dia no PETAR.

Informações locais: O Bar Takeupa é a única opção noturna em Iporanga, mas não funciona todo dia. Procure informar-se antes para não perder a viagem.

Quem estava:
Picasaweb + fotos