segunda-feira, 17 de maio de 2010

(Belo Horizonte) Cidade Administrativa

Acordamos sem muito sofrimento – o que, dada a programação do dia anterior, foi uma ótima surpresa. Sem pressa, fomos conhecer a Cidade Administrativa de MG: um dos principais motivos que me levou novamente a Belo Horizonte.

A Cidade Administrativa Tancredo Neves é, desde 2010, a nova sede oficial do Governo do Estado de Minas Gerais, em substituição ao Palácio da Liberdade. O novo complexo de prédios do governo estadual abriga a Sede do Governo e Secretarias de Estado, além de unidades de apoio. Com mais de 270 mil metros quadrados de área, foi concebido na gestão de Aécio Neves e projetado por Oscar Niemeyer.

cidade Administrativa de MG
Como a localização não é; muito conveniente, chegamos lá só às 13h, com o sol a pino. Como as obras já estavam concluídas (apenas o paisagismo estava inacabado, visto que a inauguração ocorreu em 04/mar/2010, centenário de Tancredo Neves) pudemos ter acesso às áreas comuns. Sem alvoroço ou restrições de acesso, visitamos primeiramente o Auditório JK, onde o traço de Oscar Niemeyer é inquestionável, dada a semelhança com seus projetos em Curitiba, Brasília e Natal.

Depois seguimos para o impressionante Palácio Tiradentes – a Sede do Governo: com seu inimaginável vão livre de 147 metros (o maior existente), o prédio flutua, com leveza que desafia o fato de ser feito de concreto! As janelas negras e as bandeiras tremulando (foto) completam o visual imponente.

Passando pela área livre – ainda com poucas árvores e flores e nenhuma sombra – têm-se a vista do lago artificial e dos 2 grandes prédios das Secretárias de Estado: o Minas e o Gerais. Os prédios, frente a frente, são idênticos, com 13 andares de vidraças negras e um andar aberto (o 9° andar). Entre eles, o prédio circular é o Centro de Convivência; com bancos, restaurantes, lojas, iluminação natural por uma cúpula e jardim.

Ficamos durante 3h visitando somente as áreas externas da Cidade Administrativa e o centro de Convivência (mas 1h30 já seria suficiente) e, mesmo que as criticas sejam várias, o fato de que ela será uma referência artística e arquitetônica para as futuras gerações é inquestionável.

Saímos de lá as 16h30, antes dos servidores, e seguimos diretamente para o Aeroporto de Confins, pois meu voo de volta sairia às 19h. Mais uma vez, voltei para São Paulo com o sentimento reforçado de que Minas Gerais é um lugar que eu não cansarei de visitar.

Quem estava:
Picasaweb + fotos