domingo, 6 de fevereiro de 2011

(Ubatuba) 7 Praias: do Cedro à Fortaleza

Acordamos as 7h. Devido ao horário de verão o sol começava a subir no céu e o dia começava a esquentar.

Despertei com um banho de mar! Enrolei um pouco na água e depois fiquei um pouco no sol para secar minimamente. Quando voltei ao acampamento, todos já tinham acordado e estavam procurando o que comer. O café da manhã foi barrinha de cereal e chá.

Depois do café, começamos a levantar acampamento. Em 30min tudo já estava guardado nas mochilas e estávamos prontos para continuar a caminhada. A trilha recomeça ao lado da casa abandonada, e segue para dentro da mata. Logo no início está a subida mais íngreme desse trecho, onde em 500m de caminhada subimos da altitude 5m até a 70m.

Ponta da FortalezaDo ponto mais alto já é possível avistar a Ponta da Fortaleza (foto): um grande braço rochoso que forma um quebra-mar natural para a Praia da Fortaleza.

A descida que se segue é gradual e em alguns trechos é preciso ter cuidado com os barrancos (alguns possuem cordas e pontes improvisadas). Quando chove muito, é comum encontrar grandes lamaçais nessa descida.

A partir da Ponta da Fortaleza, a trilha não acompanha o litoral, mas segue pelo morro. Nesse trecho já é possível encontrar casas e sítios, alguns inclusive em estado claro de abandono há longo tempo. Mas devido à proximidade com a praia, não é interessante usar esses lugares como ponto de parada.

Seguindo por apenas mais 1km, chegamos à Praia da Fortaleza, bastando descer uma pedra (que fica bastante escorregadia em dias de chuva) para chegar ao rio, no canto direito da praia, que é bastante tranquila e amplamente habitada.

Com a missão cumprida e o espírito satisfeito, fomos abastecer o corpo com uma porção de lula (cara, mas generosa) do Restaurante Bacana. Seguimos então para o ponto de ônibus, para voltar para casa. Atualmente há poucos horários de ônibus que saem da Praia da Fortaleza em direção à rodoviária de Ubatuba: nós pegamos o que saiu às 13h30 (R$3/pessoa). Descemos na Rio-Santos e pegamos outro ônibus, dessa vez para a rodoviária de Caraguatatuba ((R$5/pessoa).

Chegamos em casa sem maiores aventuras e os equipamentos testados foram aprovados com louvor, mesmo que não tenhamos enfrentado chuva ou clima severo.

Informações Locais:
  • Há algumas trilhas que seguem até a Ponta da Fortaleza, em sua maioria feita pelos pescadores. Mas não é possível concluir a travessia por elas, tampouco pela costeira.
  • São poucos os ônibus que chegam e saem da Praia da Fortaleza. Veja os horários oficiais da VerdeBus (empresa de transportes municipal) e planeje o horário pois não há taxis.

Quem estava:
Picasaweb + fotos