terça-feira, 1 de março de 2011

Como viajar mais leve?

Comparação de mochilasHá algum tempo se fala, principalmente nos EUA, sobre Ultralight Backpacking (ou Excursionismo Ultraleve): uma abordagem de viagem com o mínimo de peso possível. Inicialmente essa filosofia era voltada para trilhas de longa duração, mas com a evolução dos materiais, métodos de fabricação de equipamentos e alimentos, hoje ela pode ser aplicada a qualquer viagem.

A principal pergunta que talvez passe pela cabeça das pessoas é: Mas porque viajar mais leve, e com menos coisas? Simplesmente porque carregar peso não o objetivo da viagem, mas é uma necessidade. Fazer trilhas ou viajar com menos peso irá torná-la mais agradável como um todo. Seja uma trilha de 1 dia perto de casa ou um mochilão pela Europa, seus ombros, costas e joelhos sofrerão menos quanto menor for o peso que você colocar sobre eles, e mesmo que isso comprometa um pouco de conforto, costuma valer a pena.

O Ultralight Backpacking parte de alguns princípios que podem ser resumidos em 9 PASSOS:

PASSO 1: Liste - “Não estou esquecendo nada?”
Não esqueça de nada importante, mas leve apenas o necessário. Para evitar ser vitima da tentação ou do esquecimento, faça uma lista com tudo que você precisa levar e classifique cada item como: Indispensável, Importante ou Opcional.

PASSO 2: Avalie - “Vale a pena levar tudo isso?”
Arrume uma balança, pese tudo que você pretende levar e anote o peso de cada coisa na lista que você fez no passo anterior. As coisas mais pesadas e as Opcionais devem ser revistas. você verá que que enlatados (e outro produto com embalagens pesadas) podem não ser a melhor opção. Para os alimentos, não caia na tentação de olhar o peso no rótulo do produto pois ele não inclui o peso da embalagem.

PASSO 3: Repense - “Posso eliminar algo?”
Normalmente no PASSO 2 descobrimos vários excessos. Por mais leves que sejam, você não precisa de 10 pares de meia. Em viagens urbanas, uma parada na lavanderia (ou lavar algumas peças você mesmo) lhe permitirá diminuir bastante a quantidade de roupas e peso. Os itens marcados como Opcional são os primeiros que devemos revistos, principalmente se forem pesados ou em grandes quantidades.

PASSO 4: Substitua - “Posso substituir por algo mais leve?”
Normalmente há alternativas mais leves para a maioria das coisas que levamos. No PASSO 2 você deve ter descoberto que os maiores vilões de peso são: mochilas (Indispensável), barracas (Importante), sacos de dormir, fogareiros e panelas (que podem ser Importantes ou Opcionais, dependendo da viagem) e água.
Não compre um saco de dormir para neve se você vai pro sul do Brasil (lá não neva). Considere a temperatura média e durma agasalhado se estiver mais que o esperado. Pesquise mochilas e barracas com materiais mais leves - Novos materiais não param de surgir e são normalmente mais leves e resistentes. Pesquise bastante antes de comprar.

PASSO 5: Reduza - “É desse tamanho que eu preciso?”
Você pode optar por levar uma panela pequena de alumínio, ou até uma caneca, ao invés de uma panela convencional com tampa. Pode também levar menos shampoo (um frasco de hotel é suficiente para alguns dias) e metade do sabonete. Essa economia de peso e volume em viagens curtas, te possibilita usar uma mochila pequena (de 20-30 litros) ao invés de uma cargueira de 80 litros. Isso diminuirá muito o peso final, não somente por causa das coisas que estão dentro, mas também por causa do peso da mochila em si. De um modo geral, quanto menor mais leve!

PASSO 6: Roupas - “Que tipo de tempo eu irei enfrentar?”
Esqueça as várias calças de frio e leve apenas 1. Mas use a tecnologia a seu favor, e escolha a peça certa. Em clima frio, não há porque levar 3 blusas de lã e 2 calças. Se 1 não esquentar o suficiente 2 não farão muito melhor. A abordagem de camadas (1 camada de baixo, 1 camada de aquecimento e 1 camada de isolamento) é uma unanimidade hoje em dia e todas as marcas de roupa de trilha adotam essa filosofia por sua eficiência; e o preço só vem caindo. Quando chuva é algo provável, jaquetas impermeáveis e isolantes são excelentes, e existem opções para todos os bolsos. Minimizar a quantidade de roupa é um modo bastante eficiente de diminuir o peso.

PASSO 7: Cantil - “Tem água no caminho?”
Que o ser humano precisa de aproximadamente 2L de água por dia todo mundo sabe, mas você não precisa carregar tudo isso o dia todo!
Lembrando que cada litro de água pesa 1kg, seu cantil pode ser seu maior inimigo. Exceto se estiver em locais de pouca água (como desertos), opte por um cantil menor e encha-o sempre que possível. Em área selvagem, bicas e nascentes são bastante comuns, mas nem sempre a água é potável. Algumas gotas de água sanitária são o suficiente para torná-la potável, por um custo mínimo!

PASSO 8: Comida - “O que eu vou comer?”
Repense seu cardápio de forma a deixá-lo mais leve. Exceto em lugares de clima muito frio ou trilhas muito longas, você pode optar por frutas secas, nozes e castanhas, barras de cereal, defumados, queijos secos e chocolate sem risco. Assim não é preciso cozinhar nada (fogareiro, combustível e panela podem ser dispensados) e o peso final será bem menor. Só não aproveite para levar mais comida: entre 300g e 400g de comida por refeição é suficiente para todos. Para ajudar a controlar o excesso, pode-se separar previamente cada refeição.

PASSO 9: Confie - “Não subestime as coisas pequenas!”
Não menospreze a economia de peso aparentemente pequenos!
Não pense que deixar de levar coisas leves não influenciará no peso final, pois a ideia é justamente o contrario: reduza o peso a ser levado aos poucos e nas coisas que parecem não influenciar. No final você verá que essas "coisas pequenas" costumam fazer uma diferença grande quando somadas.


Há vários outros pontos que podem ser considerados para minimizar ainda mais o peso do seu equipamento de viagem, mas adotando esses passos é fácil ter uma mochila pesando menos de 8 kg sem abrir mão de toda a comodidade.

Eu virei adepto da filosofia de Ultralight Backpacking após minha viagem pela Estrada Real (em 2009), quando carreguei aproximadamente 15 kg de equipamento por muitos quilômetros. A experiência foi tão desastrosa que a viagem terminou bem diferente do planejado. Não cometa esse erro: reduza o peso da sua mochila, e não seja mais um animal de carga!