segunda-feira, 7 de março de 2011

(PN Chapada Veadeiros) Dia 03: Janela do Abismo

Acordamos às 6h30 e, contrariando a previsão do tempo, a chuva não veio. Como na noite anterior nos informamos sobre as trilhas fora do parque, hoje acordamos cedo, nos aprontamos e saímos às 7h, para um desjejum exagerado no Café da Manhã Rio Preto.

Às 9h30 estávamos novamente no Mirante São Jorge, onde deixamos o carro estacionado e seguimos (sem guia) a trilha de descida. Essa primeira parte, até a Cachoeira do Abismo é muito fácil e segue por uma área de campos rupestres de impressionante beleza. Acompanhamos por muito tempo o leito seco de um rio e, depois de 30min, chegamos a uma casa.

Cachoeira do AbismoNa casa, pagamos a entrada (R$10/pessoa), reabastecemos a água e, sem demorar, continuamos a caminhada. Percorremos um belo trecho de cerrado, em um leve declive de 1,5km, por 30min, até chegar à Cachoeira do Abismo, por cima (foto). Uma bela cachoeira com bastante água na época das chuvas, mas quase seca nas demais, e que forma um poço para nadar e proporciona um visual incrível.

Desde o início da trilha até ali é impossível se perder e um guia seria totalmente dispensável. Mas encontrar a trilha que segue a partir da Cachoeira do Abismo não é tarefa fácil. Depois de ficar na água gelada da cachoeira até enrugar, fomos procurar a trilha mas só conseguimos encontrá-la quando o Tião (um guia que chegou 45min depois de nós, levando outro grupo) nos mostrou o início - à direita da grande pedra chata na cachoeira.

Após reencontrar a trilha, descemos a encosta de 100m de desnível, até chegar à parte mais baixa. Caminhamos por 30min pelo fundo do vale até chegar à outra encosta, que subimos em 20min para chegar ao nosso destino: a parte mais alta do relevo local, com vista privilegiada, inclusive da cachoeira dos Saltos 120m e Salto 80m, que ficam dentro do parque.

Para chegar ao melhor mirante do local é preciso escalar uma parede de 5m, que estava infestada de pequenas vespas. Mas tivemos que esperar 30min para subir, pois um grupo que chegou antes já estava lá em cima, onde não cabem mais de 5 pessoas simultaneamente. rapidamente eles desceram e nós subimos. A escalada não foi complicada e, apenas lá de cima, é possível ter uma vista panorâmica de 360⁰ de toda a região, onde a brisa refrescante e o silêncio são indescritíveis!

Enquanto estávamos lá em cima, o Tião chegou com seu grupo e só quando descemos soubemos que a famosa Janela do Abismo não é no topo da escalada! Depois de muita insistência, conseguimos convencê-lo a nos mostrar a verdadeira Janela do Abismo (foto abaixo), que fica a poucos metros de onde estávamos e não foi vista por nenhum dos outros grupos. (Depois descobrimos que a Janela verdadeira é um segredo dos locais onde raramente os turistas são levados.)

Janela do AbismoFicamos quase 1h conversando e apreciando a vista da Janela, e fomos os últimos a começar o caminho de volta. Em poucos minutos alcançamos o grupo do Tião e retornamos sem demora para tomar um banho gelado na cachoeira do Abismo.

Novamente, ficamos na cachoeira por 30min e, apesar do cansaço, percorremos o trecho até a portaria quase correndo, para escapar da tempestade que se formava por todos os lados. Chegamos de volta ao Mirante São Jorge às 16h30 e seguimos para o camping, parando apenas para tomar um sorvete na única (e péssima) padaria do vilarejo.

Chegamos ao camping, tomamos banho e a chuva começou (por volta de 17h30). Ficamos na área social, conversando nos puffs e redes e mal percebemos que a chuva virou um forte temporal. Somente quando a fome apertou é que nos vimos “presos” junto com uns doidos e suas conversas alucinadas sobre ETs, pistas de pouso de UFOs na chapada e afins, sem ter como sair para comer.

Às 20h30, em um ímpeto de impaciência, o Rodrigo saiu correndo na chuva, e voltou com um guarda-chuva. Fomos então até a Pizzaria Canela D’Ema, que fica em frente ao camping, mas mesmo sendo perto chegamos bem molhados. Ironicamente, 15min depois a chuva parou. Comemos 2 pizzas e voltamos ao camping às 22h, direto pra cama. Durante a madrugada a chuva voltou, com força total, mas as barracas suportaram bem, e dormimos secos a noite toda, ao contrário de quase todas as outras pessoas do camping.

Informações Locais:
  • Pizzaria Canela D’Ema: Além de pizza, vende também geleias e doces exóticos (mas não tão exóticos assim, exceto talvez para estrangeiros) - Tel: (62) 3455-1027.
  • A associação de guias (ACVCV - Associação de Condutores de Visitantes da Chapada dos Veadeiros) regula o preço cobrado pelos guias e estabelece um limite máximo de 10 pessoas por guia.

DICA: A trilha para a Janela do Abismo foi a mais difícil que fizemos na Chapada dos Veadeiros, mas pode ser feita sem guia (use o relato acima e esse percurso como referência). Entretanto, se quiser um guia, procure pelo Tião: um dos poucos guias realmente atencioso e competente e que te levará até a verdadeira Janela do Abismo (pergunte por ele na cidade).

Quem estava:
Picasaweb + fotos