terça-feira, 4 de novembro de 2008

(Ilhabela) Dia 03: De Indaiauba até Castelhanos

Acordamos novamente às 7h20, depois de uma noite sem chuva. Fizemos todos os “preparativos matinais” para o que prometia ser um dia de caminhada puxada e partimos às 8h30 com destino à Praia dos Castelhanos.

Logo nos 45min iniciais, uma subida muito íngreme nos levou até o alto, de onde se tem visão de toda a baia de Indaiauba, e em seguida uma descida igualmente inclinada levou-nos a um riacho. Após cruzá-lo, subimos novamente até o próximo topo, e então descemos tudo de novo. A trilha, inicialmente bem demarcada, seguiu assim até que, no final de uma descida, chegamos à região conhecida como “7 voltas”, um lamaçal em que se passa sete vezes pelo mesmo rio e onde tem-se a impressão de estar andando em círculos. Nesse trecho há várias árvores grandes caídas que interrompem a trilha, sendo preciso contorná-las e então reencontrar a trilha do outro lado. Nesse trecho ficamos perdidos diversas vezes. Depois de passar esse pedaço, subimos e descemos repetidas vezes e nos perdemos novamente em alguns trechos onde havia árvores caídas.

Vista da praia de CastelhanosChegamos ao último topo às 13h15, e de lá avistamos as praias Vermelha, Mansa, Castelhanos e a imponente Cachoeira do Gato. Foram 5h de caminhada dentro da mata, sendo que ficamos parados ou perdidos por 1h30. A bela paisagem (foto) foi uma injeção de ânimo. A longa e íngreme descida até a Praia Vermelha foi feita em apenas 30min, apesar do cansaço.

Da Praia Vermelha até a Praia Mansa foram mais 20min, passando por uma trilha bem fácil e, às 14h15, sem descansar para não perder o ritmo, já começávamos nosso último obstáculo até a Praia dos Castelhanos: um pequeno morro, de trilha fácil, que era o que nos separava de nosso tão esperado almoço e descanso. Após cobras, subidas e descidas, cruzamos o “portão” que impede o acesso de veículos à Praia Mansa e chegamos à Praia dos Castelhanos às 15h30.

A fome era tamanha que almoçamos no primeiro lugar que encontramos, o Bar da Vivian, e lá conhecemos a Angélica (funcionária) e o Aloísio (morador) e por recomendação deles ficamos no Camping do Leo. Deixamos tudo arrumado no camping para dormir, tomamos um banho, e voltamos ao bar para jogar conversa fora e tomar uma merecida cerveja. Acabamos ficando por lá até 22h30, conversando com o Aloísio, a Vivian (dona do bar) e o Irineu (pescador local). Voltamos para o camping e dormimos como pedra.

Informações locais:
  • Bar da Vivian: sem endereço - (R$12,00/PF)
  • Camping do Leo: sem endereço - (R$5,00/pessoa, banho quente a parte)

Quem estava:
Picasaweb + fotos