segunda-feira, 20 de abril de 2009

(Peru) Dia 16: Trilha Inca – Dia 1

Acordamos às 5h30 com quase tudo preparado. Faltava só pegar o saco de dormir e o isolante térmico que tínhamos alugado. Às 6h tomamos café da manhã, logo após nosso último banho quente dos dias que se seguiriam. Durante o café da manhã, o pessoal da PGA apareceu com mais uma taxa extra! Bando de picaretas! Depois de muita conversa e reclamação, deixamos para "resolver essas taxas" quando voltássemos.

Então, às 6h30, o ônibus chegou ao nosso hotel, já cheio de brasileiros. Seguimos novamente para Ollantaytambo, onde chegamos aproximadamente às 8h30. Lá, nosso guia (Alberto) foi buscar nossos ingressos, os sacos de dormir e os isolantes. Esperamos ele por 1h e, enquanto isso, comprei um "bastão de caminhada" (que era um cabo de vassoura cortado) e fitas compressoras. Quando o Alberto finalmente retornou, seguimos para o real início do Caminho Inca, no Km 82. Demoramos mais 30min para reorganizar as mochilas, com os sacos de dormir (gigantescos e velhos) e os isolantes. Finalmente, às 11h45, começamos o Caminho Inca!

Trilha Inca - Dia 2Andamos por quase 2h, por um caminho largo, bastante plano e com bons locais para descanso (foto ao lado). Às 14h paramos para almoçar: lombo saltado e batata. Fizemos a sesta e às 15h retomamos a caminhada. Andamos apenas 45min até avistarmos as ruínas de Patallacta, que foi uma cidade administrativa inca. Paramos apenas por 15min e continuamos andando. Às 17h chegamos o local do nosso primeiro acampamento. Tomamos chá e descansamos até às 19h30, quando foi servido o jantar: sopa, frango frito, verduras e arroz. Como eu estava com sono (pela noite anterior mal dormida), dormi logo após o jantar.

DICAS:
  • Não esqueça de passar protetor solar logo cedo. Aproveite enquanto tiver esperando em Ollantaytambo, já que depois não haverá muito tempo livre.
  • Se optar por alugar sacos de dormir, tente pegá-lo na véspera. Como eles não costumam estar bem dobrados, será melhor para arrumá-los em sua mochila se houver tempo suficiente.
  • Embora a comida na Trilha Inca seja boa (os cozinheiros costumam ser competentes) e farta, leve algo para comer nos descansos. As opções para comprar no caminho, quando existem, são poucas e caras.

Quem estava:
Picasaweb + fotos