quarta-feira, 22 de abril de 2009

(Peru) Dia 18: Trilha Inca – Dia 3

Escadarias IncaNoite gélida e chuvosa, e nós acordados às 5h, novamente com o chá de coca fumegante. Às 5h30 tomamos café da manhã, enquanto a chuva caia incessante. Às 6h30, mesmo com chuva e neblina, começamos a caminhar deixando para trás o macabro acampamento do segundo dia, que supostamente fica onde outrora fora um cemitério clandestino de Sendero Luminoso. Às 7h40, depois de 1h de subida moderada, avistamos Runkurakay, um antigo posto de vigia e controle. Como havia muita neblina atrapalhando o visual, ficamos por lá apenas 15min e às 8h recomeçamos a caminhar. Depois de mais 2h de subida, passando por lagoas na altitude e escadarias incas intermináveis (foto), chagamos a Sayaqmarka, um antigo povoamento inca. Ficamos lá até 10h15 e caminhamos mais 40min até o local onde almoçaríamos.

Almoçamos cedo, às 11h, com a chuva caindo, agora com toda a força. Novamente a comida estava ótima. Com a desculpa da chuva, ficamos mais tempo que o previsto na tenda refeitório e às 13h, quando a chuva abrandou, recomeçamos a caminhar. Descemos escadarias, passamos por trechos de floresta, por pontes e túneis naturais; tudo debaixo de chuva. Às 13h45 chegamos a Phuyupatamarca e a chuva e a neblina densa continuavam, atrapalhando o visual. Ficamos lá apenas 20min e retomamos a caminhada.

Às 15h30 chegamos em WiñayWayna, depois de descer quase 1000m durante o dia inteiro. Nesse último acampamento existe uma infraestrutura melhor e pudemos descansar bem e tomar umas cervejas enquanto esperávamos o restante do grupo chegar. Tomamos nosso já habitual chá da tarde às 17h e então eu fui tomar um merecido banho quente.

Às 19h tivemos um verdadeiro banquete no jantar: papas rellenas, rocottos rellenos, pizza, quinua refogada, saladas diversas, arroz, purê de batata, frango e sobremesa. Mas só no final é que percebemos o motivo de tamanha fartura: era última refeição inclusa no pacote, e era preciso causar uma impressão boa o suficiente para justificar gorjetas. Resolvemos dar a quantidade sugerida pelo guia: US$10,00 cada. Fomos dormir às 21h, já sabendo que amanhã deveríamos acordar às 4h para finalmente conhecer Machu Picchu um pouco dos mistérios (e das burocracias) que a cercam.

DICAS:
  • Não esqueça a capa de chuva (ou roupas impermeáveis)! É bastante comum pegar chuva no último dia de caminhada, ao passar por uma área de floresta úmida.
  • Muitos trechos da descida são realmente perigosos. Seja cuidadoso, não tenha pressa em trechos de pedra molhada.
  • Em WiñayWayna é possível tomar banho quente, fazer massagem, comer, beber e dormir em uma cama macia: tudo pelo seu devido preço, obviamente! Se optar por algum desses “confortos”, faça o quanto antes, pois para os últimos é comum toalhas acabarem, o banho ficar frio e as camas não terem travesseiro.

Quem estava:
Picasaweb + fotos