quinta-feira, 23 de abril de 2009

(Peru) Dia 19: Machu Picchu

Acordamos às 4h com a impressão de nem ter dormido. O burburinho no acampamento era intenso e os carregadores já tinham arrumado quase tudo. Arrumamos as nossas coisas, deixando sacos de dormir e isolantes com os carregadores, que os levariam embora. Tomamos um café da manhã ligeiro e às 5h fomos para a fila do último posto de controle, de onde vimos o dia começar a nascer.

Assim que o posto de controle abriu, pontualmente às 5h30, a fila começou a andar. As pessoas iam apressadas rumo a Machu Picchu, exceto nós! Algum problema com os ingressos nos atrasou por 15min, e só começamos a caminhar às 5h45.

Demora-se aproximadamente 1h30 do posto de controle até Intipunku, e mais 30min até a cidadela de Machu Picchu. Mas muitos (eu inclusive) queriam ir bem mais rápido que isso, para conseguir a permissão para subir em Wayna Picchu.

Machi PicchuEu e o Rodrigo fomos o mais rápido que pudemos; inclusive correndo em muitos trechos! Às 6h10 chegamos na Porta do Sol (Intipunku). Paramos por 5min para algumas fotos dovisual único e um rápido descanso, e continuamos em ritmo acelerado. Depois de mais 10min, chegamos finalmente ao motivo da nossa viagem: Machu Picchu! Descendo mais um pouco, vimos a cidadela da Casa do Guardião, o seu melhor ângulo! Ficamos hipnotizados e quase nos esquecemos que precisávamos chegar o mais rápido possível ao posto de controle de Wayna Picchu.

Descemos correndo feito loucos, guardamos as mochilas e carimbamos os ingressos na portaria de turistas (quem chega pela Trilha Inca não passa por essa portaria). Tivemos então que atravessar a cidadela inteira para chegar ao posto de controle de Wayna Picchu, que fica no extremo oposto. Quando chegamos lá: decepção! Não havia mais vagas para o turno das 10h. Apenas dois membros do grupo abriram mão das explicações do guia para ter a vista panorâmica oposta de Machu Picchu. Como o tempo estava nublado, optei pelas explicações.

Nosso tour começou às 8h10, pela entrada de turistas. Visitamos algumas áreas; entre eles o Templo do Sol, as terraças agrícolas e o Templo das 3 Janelas; com a companhia e explicação do nosso guia, Alberto. Às 10h, ainda com muitas áreas não visitadas, o Alberto se despediu! Ele desceu para Águas Calientes para agilizar o trem da volta e não terminou as explicações! Nós continuamos visitando, fotografando e ouvindo as explicações dos guias de outros grupos até às 12h45, quando também tivemos que descer para Águas Calientes. Precisávamos encontrar o Alberto (que voltaria antes de nós para Ollantaytambo) às 13h30 para pegar os bilhetes do trem.

Descemos de ônibus (US$7,00) para Águas Calientes e encontramos com o Alberto em um restaurante. Pensamos em trocar o harário do trem, para ir mais cedo e poder apreciar a paisagem, mas foi inútil. Todos os horários já estavam lotados e teríamos que ir às 18h mesmo. Enrolamos no restaurante até às 15h, quando então resolvemos ir relaxar nas termas que dão nome à cidade. Termas essas que não são tão boas quanto em Chivay, mas foi melhor do que ficar no restaurante sem fazer nada.

Às 17h30 fomos para a estação de trem. Embarcamos só às 18h30, com 30min de atraso. Felizmente os assentos eram marcados, porque o trem estava lotado. Como já estava escuro e nós estávamos cansados, dormimos todo o trajeto. Acordamos em Ollantaytambo quase 20h e o ônibus da agência, que nos levaria até Cusco, já estava nos esperando. Novamente dormimos toda a viagem.

Acordamos em Cusco (na Plaza de Armas) às 22h. Fomos direto para o hotel, tomamos um banho demorado, arrumamos todas as coisas para evitar contratempos no dia seguinte, e dormimos como pedras em uma cama macia e quente.

DICAS:
  • Apenas 400 pessoas por dia sobem a Wayna Picchu. O acesso é grátis para quem está em Machu Picchu, mas há um limite de 200 pessoas às 8h e mais 200 às 10h. Como os roteiros pela cidadela normalmente começam às 8h, a grupo das 10h costuma esgotar rapidamente. Para conseguir a autorização é preciso ir ao posto de controle de Wyana Picchu, com os ingressos do parque carimbados. As autorizações, para o horário escolhido, são concedidas por ordem de chegada.
  • É proibido entrar com mochilas grandes e garrafas descartáveis em Machu Picchu. Há armários (pagos) para guardar as mochilas na entrada do parque.

Quem estava:
Picasaweb + fotos