terça-feira, 21 de abril de 2009

(Peru) Dia 17: Trilha Inca – Dia 2

Trilha Inca - Dia 2Fomos acordados às 5h e chovia. O chá de coca foi servido à porta da barraca e tomamos-o enquanto arrumávamos nossas coisas. Às 5h30, já com tudo pronto, tomamos o café da manhã. As opções para comer eram várias, mas era muito cedo e eu ainda não estava com fome suficiente para me empanturrar.

Às 6h20 começamos o segundo dia de caminhada (que é famoso por ser o mais difícil) debaixo de uma leve chuva. Em apenas 20min chegamos até o segundo posto de controle e a chuva ja tinha parado. Lá, uma placa confirmava que esse dia não seria nada fácil. Subiríamos 1200m (foto) até a Passagem de Warmiwañuscca (também conhecida como a Passagem da Mulher Morta) e depois desceríamos 600m até o local do segundo acampamento. Somente lá almoçaríamos; ao meu ver, uma clara falha de planejamento!

De início, a subida não assustou. Era levemente inclinada, com bastante árvores e sombra e sem dificuldades chegamos nas ruínas de Hatunchaca. De lá seguimos até o primeiro ponto de descanso, onde chegamos às 8h. Como não estávamos cansados, esperamos apenas 15min e já continuamos.

O segundo trecho de caminhada foi bem mais cansativo. Além de passar por um bosque úmido, a subida era bem íngreme e inteiramente por escadas de pedra. Os que pagaram carregadores extras dispararam na frente e os demais foram seguindo, cada um no seu próprio ritmo. Eu acabei ficando para trás, e cheguei ao segundo posto de descanso às 10h15, depois de 2h de subida árdua. Quando cheguei, os que estavam sem mochila já estavam de saída. Descansei por 20min, comi algumas coisas que tinha levado e, quando todos já estavam recomeçando a caminhar, acompanhei-os.

Às 10h30 comecei o último trecho de subida do dia. Nesse trecho fui movido puramente por minha determinação, pois meu corpo já estava fatigado e sentindo os efeitos do famoso soroche. As escadas de pedra estão em toda a extensão da subida, que é bastante íngreme. Embora o sol já estivesse alto, o frio era intenso e o vento incessante. Meu rendimento e motivação caiam à medida que a fome e a altitude aumentavam, até o ponto em que eu precisava descansar a cada 10min de caminhada. Alcancei o topo da Passagem de Warmiwañuscca (foto abaixo) às 12h20, já totalmente exausto! Mas como não conseguia suportar os ventos gélidos, e minha roupa suada só piorava o frio, resolvi descer depois de apenas 15min de descanso lá no alto.

Topo da Passagem de WarmiwañusccaFui descendo as escadarias intermináveis com cuidado, pois elas estavam um pouco molhadas pela chuva da manhã (e tudo que eu não precisava era de uma queda). Cheguei ao segundo acampamento às 14h10, e incrivelmente não fui o último do grupo. Tive tempo de descansar 10min e então almoço foi servido: macarrão a bolonhesa! Embora a comida estivesse ótima, me faltava forças até mesmo para mastigar. Engoli tudo e fui dormir sem nem conseguir tirar a roupa suada. Enquanto eu dormia a chuva voltou a cair.

Acordei às 17h com o intuito de tomar um banho, mas mudei de idéia rapidamente: a água estava quase congelando nos canos! Apelei para os lenços umedecidos (que nos foram muito recomendados), coloquei roupas quentes e fui tomar o chá da tarde. Depois do chá, ficamos todos conversando na tenda refeitório até às 19h, horário do jantar. Havia sopa, bife, arroz e batatas. Fui dormir logo depois de comer, coberto pela noite mais estrelada que já vi.

DICAS:
  • É possível contratar carregadores extras para levar até 20kg da bagagem pessoal. O valor costuma variar em torno de US$80,00 (mais eventuais gorjetas) por carregador. Se for do seu interesse, pergunte com antecedencia na agência com quem voce fechar o pacote para a Trilha Inca.
  • Em todos os acampamentos, e em alguns outros pontos, há banheiros (nada luxuosos), separados entre homens e mulheres. Na maioria é possível tomar banho, mas a água é tão gelada quanto você puder imaginar!
  • O segundo dia de caminhada (a ascensão a Warmiwañuscca) é uma tarefa árdua e as refeições mal distribuídas ao longo do dia podem torná-la ainda dificil. Não deixe de levar algo para comer.
  • Embora mascar folhas de coca sejam muito eficientes contra o mal de altitude (efeito esse potencializado pelo consumo simultâneo de cálcio), elas também inibem bastante o sono! Não exagere, pricipalmente depois do almoço.

Quem estava:
Picasaweb + fotos