terça-feira, 28 de dezembro de 2010

(Jordânia) Considerações finais

Bandeira da Jordânia A Jordânia é, juntamente com a Turquia, o país mais aberto do Oriente Médio. É bastante comum encontrar turistas mesmo nas cidades do interior. A capital, Amman, tem todas as características de uma grande metrópole ocidental, desde a arquitetura (repleta de prédio comerciais) até as pessoas circulando na rua durante a madrugada.

A maioria das pessoas que lidam com o turismo falam inglês (mesmo que precário), os meios de comunicação (internet, telefones, correios) estão presentes em todos os lugares, e possuem adaptações que facilitam a vida dos estrangeiros (como instruções em diversos idiomas e teclados ocidentais). Para ajudar ainda mais a vida do turista; a inflação é baixa e a economia estável, com diversos bancos internacionais atuando no país, e ampla aceitação de cartões de crédito.

Mesmo tendo visto poucos policiais nas ruas, a sensação de segurança é boa (talvez por causa da cultura muçulmana). O país tem boas relações diplomáticas na região, até mesmo com Israel (que possui problemas com praticamente todos os países árabes), gerando grande fluxo de turistas entre ambos.

Para completar, o território possui belezas naturais (Mar Morto e Wadi Rum, para citar o mínimo), culturais e arqueológicas (em Amman, Jerash e Madaba) sem iguais. Como se não fosse o suficiente, Petra - umas das 7 Maravilhas do Mundo Moderno - está localizada no centro do país e lhe garante projeção turística internacional.