segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

(Jordânia) Dia 24: O Mar Morto

Acordamos às 6h30 e, como tudo já estava arrumado, fomos direto tomar café da manhã. Às 7h, o mesmo motorista que nos levou de Wadi Rum para Wadi Musa (Omar) chegou ao hotel para nos pegar.

Castelo ShobakFizemos check-out e seguimos viagem pela Kings Highway. Menos de 1h depois, chegamos ao Castelo Shobak: a fortaleza construída pelos cruzados que foi conquistada por Saladino. Como sempre, a localização do castelo é privilegiada, possibilitando uma vista panorâmica que alcança mais de 100km de distância. Embora a muralha tripla e o portão ainda estejam lá, sobrou pouca coisa original, e a maior parte do que está de pé é reconstrução feita com cimento. Ficamos apenas 15min e seguimos viagem.

Depois de 30min, às 9h30, chegamos ao mirante do Dana Natural Reserve: a reserva natural mais acessível do país. Mas como elanão estava nos planos (passamos porque estava no caminho), paramos apenas para tirar algumas fotos e seguimos.

Logo após a reserva, saímos da Kings Highway (para a esquerda) e a paisagem mudou drasticamente. O cenário voltou a ser o deserto árido e montanhoso que tanto caracteriza a Jordânia. A estrada desceu sinuosa por 30min, quando então pudemos avistar o Mar Morto, que mais parece um lago, com a “margem” oposta, onde fica Israel, visível o tempo todo. Aos poucos, as características de mar ficam indiscutíveis; com ondas e praias.

Estacionamos no Dead Sea Spa Hotel para um day use, onde poderíamos usar o restaurante, piscinas, banheiros, vestiários e lojas. Pagamos JD15/pessoa pelo day use e fomos direto para a praia. Mas, como essa visita não estava nos planos, estávamos sem roupas de banho. A Pri comprou um biquíni em uma loja e eu resolvi ficar de bermuda mesmo.

A água é muito mais salgada do que eu poderia imaginar! A flutuação é tão intensa que chega a ser difícil molhar a cabeça! Eu, desobedecendo a recomendação local, me arrisquei em um mergulho enquanto a Pri lia uma revista enquanto boiava no mar.

Péssima ideia a minha! Mesmo de olhos fechados, a água extremamente salgada praticamente queimou meus olhos. Lavei o rosto rapidamente, principalmente olhos e boca, nas duchas de água doce mas não adiantou muito. Fiquei quase 30min sem enxergar, e o restante do dia com os olhos, nariz e lábios bastante irritados e queimados pelo excesso de sal.

Lama do Mar MortoOutra atração está abaixo do fundo pedregoso do Mar Morto: uma camada de lama negra, que dizem ser ótima para a pele. É possível cavar e pegar a lama você mesmo ou, por JD3/pessoa, pegar o quanto quiser de lama peneirada e lavada de um balde. Depois de espalhar no corpo todo (foto) e esperar secar bem até que esteja toda quebradiça, é hora de se lavar na água do mar. Depois de secar ao sol, minha impressão foi que o mérito era da água do Mar Morto e não da lama. Mas seja como for, o efeito é real, imediato e, em mim, durou por 3 dias!

Depois fomos almoçar em um buffet livre (JD12/pessoa) no local. Normalmente acho esse tipo de buffet “para turistas” uma porcaria, mas esse era excelente! Comida boa, fresca, variada e farta; sem ninguém tocando musica folclórica ou vendendo coisas. Entre mergulho, lama e almoço, ficamos 4h lá (de 11h até 15h), e fomos embora quando o sol já não esquentava muito (por ser inverno).

Seguimos então até Madaba: a cidade dos mosaicos. Fomos rapidamente conhecer a igreja ortodoxa de São Jorge (JD1/pessoa), totalmente decorada com mosaicos de figuras religiosas. Mas o principal é o mosaico do chão: um fragmento do mapa da Terra Santa, feito no século VI com 2 milhões de peças. Ficamos apenas 10min na igreja e seguimos viagem para Amman.

Apesar do trânsito da área metropolitana, chegamos rapidamente ao Palace Hotel. As coisas que ficaram guardadas lá há 5 dias estavam exatamente onde deixamos, mas o hotel estava lotado! Por recomendação do Omar, fomos para o New Park Hotel; a 2 quadras de distância, melhor e mais barato.

Fizemos check-in e fomos direto tomar banho para terminar de tirar o sal do corpo, lavar direito o cabelo que já estava parecendo uma vassoura e, finalmente, trocar de roupa. Como já era tarde, nos ocupamos de arrumar as malas para a viagem de volta ao Brasil.

Informações Locais:
  • New Park Hotel: King Hussien St, Downtown - Tel: +962 646 12140 - JD25/suite - internet, sem café da manhã.
  • Palace Hotel: King Faisal St., Downtown - Tel: +962 646 24326 - JD25/duplo - internet, café da manhã (fraco).
DICA: Não mergulhe no Mar Morto! Não molhe os olhos ou a boca. Lave o corpo com água doce (nem que seja preciso comprar água mineral para isso), pois a água é tão salgada que o excesso de sal que fica na pele (mesmo já seca) pode causar queimaduras graves.

Quem estava:
Picasaweb + fotos